search
top

Cidades e Políticas Publicas de Cultura – 2º fase

Será realizado em Pouso Alegre, nos dias 25 e 26 de agosto, durante o 6º Fórum Sul Mineiro de Cultura, a segunda fase do projeto Cidades e Políticas Públicas de Cultura. Nos dias 17 e 18 de agosto, o município recebeu a Oficina de Elaboração de Projetos Culturais, que teve 45 participantes aprendendo técnicas para inscrição de projetos em leis de incentivo à cultura.

Dando continuidade ao evento, uma das atividades programadas é um seminário, que contará com palestras de importantes nomes do cenário cultural brasileiro: Mônica Starling, da Fundação João Pinheiro; Lia Calabre, da Fundação Casa Rui Barbosa – Ministério da Cultura/RJ; Stefano Ragonezzi, da Drummond & Neumayr Advocacia/MG; e o mineiro Rômulo Avelar, gestor cultural e autor do livro O Avesso da Cena.

Segundo Mariana Esteves, produtora-executiva do projeto, este é um momento oportuno para o encontro do Legislativo Municipal, dos gestores públicos da educação, cultura, turismo e saúde, assim como da sociedade civil. “Além disso, a participação de prefeituras e agentes culturais dos municípios vizinhos é fundamental para a troca de experiências, formação de redes e fortalecimento de uma economia criativa regional”, conclui.

No segundo dia, 26, durante o Grupo de Trabalho Municipal, haverá uma mobilização com a antropóloga Clarice Libânio, com o objetivo de esboçar o Plano Municipal de Cultura de Pouso Alegre e impulsionar o município rumo à reflexão e definição de diretrizes prioritárias para a cultura na cidade.

As inscrições continuam gratuitas e devem ser feitas até o dia 24 de agosto, no Conservatório de Música de Pouso Alegre – rua Francisco Sales, nº 116 ou pelo site: www.cidadescultura.com.br.

O projeto em Pouso Alegre

Minas é conhecida como berço cultural brasileiro. Contudo, muitas cidades do estado ainda não possuem estrutura administrativa e legislação cultural específica para a área. Por isso, a empresa Artmanagers, especializada em consultoria, elaboração e gestão de projetos culturais, e a sociedade Drummond & Neumayr Advocacia, em parceria com a Ohm Cultura, tem levado o projeto Cidades e Políticas Públicas de Cultura a sete cidades do interior de Minas Gerais. A iniciativa conta com recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e é patrocinada pela Usiminas com o apoio das prefeituras locais.

Segundo Alessandra Drummond, uma das coordenadoras do programa, é imprescindível que as cidades mineiras voltem a ocupar espaço de destaque no cenário cultural do país. “O momento para a realização do projeto é oportuno, já que se encontra aberto o prazo para adesão dos municípios brasileiros ao Sistema Nacional de Cultura, conduzido pelo Ministério da Cultura. Isso os tornará aptos, inclusive, a receber recursos públicos estaduais e federais para fomento da cultura local”, ressalta.

Uma das palestrantes do seminário, Lia Calabre, da Fundação Casa Rui Barbosa|Ministério da Cultura, falará sobre a peculiaridade das manifestações culturais diversas das cidades participantes do projeto. Doutora em História Social pela Universidade Federal Fluminense, ela acredita que cada município possui alguma manifestação cultural. “Pode ocorrer, sim, da cidade não ter atividades artísticas de maneira mais estruturada, como grupos de teatro, dança ou música, por exemplo. Mas certamente tem rodas de cantoria, festas de fundo de quintal, doceiras famosas e contadores de ‘causos’”, explica. Ela enfatiza que é esse potencial que precisa ser observado por aqueles que são responsáveis pela gestão cultural do município.

A palestrante reforça ainda que todo cidadão tem direito à cultura, garantido pela Constituição, e que cabe ao Poder Público prover. “Logo, a questão da qualificação, tanto daqueles que estão envolvidos com a gestão quanto dos que estão no campo da produção cultural e artística, é de importância vital para o desenvolvimento e fortalecimento das potencialidades culturais locais”, comenta.

Lia Calabre afirma que o desenvolvimento cultural é uma ação da sociedade civil em parceria com o Poder Público e que a cultura do município é produzida pelos cidadãos, pelos que ali habitam, com o auxílio das políticas públicas. “É importante colocarmos na discussão a ideia de que manter um projeto coletivo não significa ter que abrir mão de uma lógica de produção artística que, na maioria das vezes, é individual. Projetos coletivos são fundamentais para o fortalecimento das atividades culturais da cidade”, conclui.


Cidades e Políticas Publicas de Cultura – 2º fase

Datas: 25 e 26 de agosto de 2011.
Local: Conservatório de Música de Pouso Alegre.
Endereço: Rua Francisco Sales, nº 116, Centro.

Programação

Manhã
Palestra 1 – “A cultura local e estadual: o desafio da integração regional”
Mônica Starling – Fundação João Pinheiro – MG.

Palestra 2 – “A cultura no âmbito federal: leis, programas e municipalização “
Lia Calabre – Fundação Casa Rui Barbosa – MINC/RJ.

(Debates)

Tarde
Palestra 3 – “Direito e Cultura: uma análise da legislação cultural do Brasil e suas interlocuções com os municípios”
Rafael Neumayr ou Stefano Ragonezzi – Drummond & Neumayr Advocacia – MG.

Palestra 4 – “Cultura e desenvolvimento local: apresentação de estudos de casos”
Rômulo Avelar – Gestor Cultural – MG e autor de “O Avesso da Cena”.

(Debates)

top